segunda-feira, 24 de abril de 2017

A Câmara Sangrenta - Angela Carter

A Câmara Sangrenta - Angela Carter

Editora: Dublinense para TAG
Ano da Edição: 2017
Páginas: 224
Título Original: The bloody chamber

Sinopse
Originalmente lançados em 1979, os contos aqui reunidos são prova da sofisticação e criatividade de Ângela Carter. Ao se apropriar de histórias folclóricas como Chapeuzinho Vermelho e a Bela e a Fera, além de personagens míticos como vampiros, lobisomems e entidades sobrenaturais, a autora reconstrói um universo realista que bebe no fantástico. Como quem desmancha um quebra-cabeça, ela reposicionar as peças do feminino, da violência, da sexualidade e do heroísmo em um imaginário inovador e indiferente aos paradigmas de sua época. Embora pouco conhecida no Brasil, Ângela Carter é considerada uma das principais escritoràs inglesas do século 20. Sua obra é tão vasta quanto variada: são mais de trinta livros, entre contos, romances, poemas, ensaios e peças. Acumulou diversos prêmios durante a carreira, mas sua grande conquista está no legado artístico e humano de suas palavras. A Câmara sangrenta e outras histórias é um dos melhores exemplos de seus méritos.



Resenha

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Quando Você Voltar - Kristin Hannah

Quando Você Voltar - Kristin Hannah

Editora: Arqueiro
Ano da Edição: 2013
Páginas: 352
Título Original: Home Front

Sinopse
Como tantos casais, Michael e Jolene não resistiram às pressões do dia a dia e agora estão vendo seu relacionamento de doze anos desmoronar. Alheio à vida familiar, Michael está sempre mergulhado no trabalho, não dá atenção às duas filhas e não faz a mínima questão de apoiar a carreira militar da esposa. Então Jolene é convocada para a guerra. Ela sabe que tem um dever a cumprir e, mesmo angustiada por se afastar de casa, deixa para o marido a missão de cuidar das meninas e segue para o Iraque. Essa experiência mudará para sempre a vida de toda a família, de uma forma que ninguém poderia prever. No front, Jolene depara com a dura realidade e precisa, mais do que nunca, recorrer à sua força e inteligência para se tornar uma heroína em meio ao caos. Em suas mensagens para casa, ela retrata um mundo cor-de-rosa, minimizando os horrores que vivencia com o objetivo de proteger todos do sofrimento. Mas toda guerra tem um preço, e ela acaba se vendo protagonista de uma tragédia. Agora Michael precisa encarar seus medos mais profundos e travar uma batalha em nome da família.



Resenha

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Quadribol Através dos Séculos - Kennilworthy Whisp

Quadribol Através dos Séculos - Kennilworthy Whisp (J.K. Rowling)

Editora: Rocco
Ano da Edição: 2001
Páginas: 64
Título Original: Quidditch Through the Ages

Sinopse
Se você algum dia quis saber como surgiu o pomo de ouro ou por que o time dos 'Vagamundos de Wigtown' (Wigtown Wanderers) tem a estampa de um cutelo de açougueiro no uniforme, você precisa ler 'Quadribol através dos séculos' (Quidditch throught the ages). Esta edição limitada é uma cópia do exemplar guardado na Biblioteca Escolar de Hogwarts e consultado por jovens fãs do quadribol quase diariamente. A renda obtida na venda deste livro reverterá para o Comic Relief, que destinará o dinheiro ao seu trabalho de salvar vidas - um trabalho mais importante e mais surpreendente do que a segunda captura do pomo de ouro, em três segundos e meio, por 'Rodrigo Plumpton' (Roderick Plumpton), em 1921.



Resenha

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar - Sarah MacLean

Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar - Sarah MacLean

Editora: Arqueiro
Ano da Edição: 2016
Páginas: 384
Título Original: Nine Rules to Break When Romancing a Rake

Sinopse
A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.



Resenha

segunda-feira, 10 de abril de 2017

A Diaba e sua Filha - Marie NDiaye

A Diaba e sua Filha - Marie NDiaye

Editora: Cosac Naify
Ano da Edição: 2011
Páginas: 40
Título Original: La Diablesse et son Enfant

Sinopse
A atmosfera noturna dá à história da autora franco-senegalesa Marie NDiaye um caráter sombrio e misterioso. O sincretismo de NDiaye ecoa em seu texto, mescla de metáforas dos contos de fada tradicionais e de elementos da literatura africana. No livro, uma diaba sai todas as noites da floresta à procura de sua filha que desapareceu misteriosamente, junto com a casa onde moravam. Foi quando a diaba percebeu também que seus delicados pés haviam se transformado em cascos de cabra – deformidade que causa repulsa nas pessoas. A ambiguidade da personagem – alegoria da noite –, de face graciosa, olhos doces, mas com cascos no lugar dos pés, suscita no leitor alguma hesitação e muitos questionamentos. Um livro enigmático que nos convida a refletir sobre como o afeto é capaz de humanizar até a aparentemente mais aterrorizante criatura e sobre a importância de se respeitar as diferenças, visíveis e invisíveis.



Resenha