sexta-feira, 13 de julho de 2012

A Outra Rainha - Philippa Gregory

Primeiro, quero agradecer minha amiga Ivethy por ter me dado este livritcho de presente! :)

A Outra Rainha - Philippa Gregory

Editora: Record
Ano da Edição: 2011
Páginas: 418
Título Original: The Other Queen

Sinopse
Após fugir dos rebeldes escoceses e buscar abrigo na Inglaterra com sua prima Elizabeth I, Maria Stuart passa a viver sob a guarda do casal George Talbot, o conde de Shrewsbury, e Bess de Hardwick.

Durante os anos de cárcere da rainha da Escócia, os sonhos, convicções, frustrações e esperanças desse casal são revelados, tendo como cenário a grande insurreição do norte que visa libertar Maria, restaurá-la a seu trono na Escócia e garantir sua herança ao trono da Inglaterra.



Resenha

Bora falar da capa primeiro? É linda, não é? Foi a primeira coisa que chamou minha atenção quando vi este livro na livraria (sim, confesso, eu também escolho/compro livros pela capa). A segunda coisa que me chamou a atenção foi a autora, eu já tinha lido muitos comentários positivos sobre os livros de Philippa Gregory, em especial sobre a série "Os Tudors".

Esse foi o primeiro livro de Philippa Gregory que li e digo logo que pretendo ler outros livros da autora, pois gostei muito do seu estilo. "A Outra Rainha" faz parte da série "Os Tudors" e é o sexto livro seguindo a ordem cronológica. Mas você pode ler os livros em qualquer ordem, até porque eles foram publicados fora da ordem cronológica dos acontecimentos (a própria autora diz isso no seu site). Aliás, dizem que este é o livro mais fraco da série; se ele é o mais fraco, quero logo ler os outros!

A história se passa no tempo em que Maria, rainha da Escócia, é mantida como prisioneira na Inglaterra de Elizabeth I. Ela é narrada sob três perspectivas: a da própria Maria, a de George Talbot (o conde responsável guardar a rainha Maria) e a de Bess de Hardwick (a esposa de George). Como a narração é feita em primeira pessoa, nós conseguimos penetrar nos pensamentos dos personagens e descobrir suas intenções.

Usar vários pontos de vista e a primeira pessoa para narrar os fatos foram recursos interessantes, além disso, a autora escreve muito bem e faz você realmente acreditar que tudo aquilo se passou. Contudo, o livro perdeu uma estrela pois não consegui me apegar a nenhum personagem. Bess e George não são muito interessantes e Maria vai perdendo o brilho ao longo do livro, devido aos anos de "prisão".

Para mim, o melhor período para se fazer um livro sobre Maria Stuart seria o anterior à sua prisão. Mas a autora parece ter gostado muito de Bess e estava era querendo uma desculpa para fazer um livro sobre ela. Não que a verdadeira Bess de Hardwick não seja uma mulher digna de nota, afinal ela conseguiu fazer sua fortuna com base na sua própria inteligência e faro para negócios (embora os maridos anteriores tenham dado sua contribuição) em pleno séc. XVI, mas ela não dá uma boa protagonista de romance.


Série Os Tudors (ordem cronológica)
  1. A Princesa Leal (The Constant Princess)
  2. A Irmã de Ana Bolena (The Other Boleyn Girl)
  3. A Herança de Ana Bolena (The Boleyn Inheritance)
  4. O Bobo da Rainha (The Queen's Fool)
  5. O Amante da Virgem (The Virgin's Lover)
  6. A Outra Rainha (The Other Queen)

 

sexta-feira, 6 de julho de 2012

A Mesa Voadora - Luis Fernando Verissimo

A Mesa Voadora - Luis Fernando Verissimo

Editora: Objetiva 
Ano da Edição: 2001 
Páginas: 156 


Sinopse


"A Mesa Voadora" traz uma seleção de 47 crônicas recheadas com dicas bem humoradas de quem transita com a mesma desenvoltura por sofisticados bistrôs de Paris ou pastelarias de beira de estrada. Apesar de não entender nada de cozinha, Luis Fernando Veríssimo entende bem, e muito, de comida. Neste livro o autor escreve deliciosamente sobre suas memórias gustativas. Delicie-se com este cardápio recheado de crônicas de dar água na boca!


Resenha

Eu sou fã de Verissimo e adoro a forma como ele consegue transformar situações tão corriqueiras em algo divertido e gostoso de ler. Então não podia deixar de apreciar mais esse livro de crônicas dele. A Mesa Voadora, assim como Orgias, é um livro que a gente devora bem rápido, mas achei que as crônicas são um pouco menos divertidas. Talvez seja porque elas estão relacionadas à comida e eu não sou uma amante tão entusiasmada da cozinha.

Mas ainda assim, a leitura vale a pena. Quem não passou por um sufoco como relatado em "O buffet"? E quem teria coragem de degolar a galinha Margarete de "A decadência do Ocidente"? Aliás, quero deixar registrado aqui o meu apoio à rebelião contra a salsinha e que concordo com Verissimo que "salsinha" é qualquer coisa que esteja só de enfeite no prato.

Outra característica que gosto de Verissimo está presente em "Botecos", que é sua habilidade em inventar palavras que se encaixam perfeitamente no significado pretendido. Afinal, "flunfa" é ou não um nome perfeito para aquela sujeirinha/lãzinha que fica no umbigo? =D